Show simple item record

dc.contributor.authorMarques, Amanda Cristina Teagno Lopes
dc.date.accessioned2013-09-24T13:46:47Z
dc.date.available2013-09-24T13:46:47Z
dc.date.issued2011
dc.identifier.citationMARQUES, Amanda Cristina Teagno Lopes. A construção de práticas de registro e documentação no cotidiano do trabalho pedagógico da educação infantil [online]. São Paulo : Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, 2011. Tese de Doutorado em Educação. [acesso 2013-09-24]. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-07042011-141501/>.es_ES
dc.identifier.urihttp://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-07042011-141501/pt-br.php
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/123456789/1678
dc.description.abstractTrata-se de uma pesquisa de doutorado que tem por objeto o registro de práticas e a documentação como elemento da cultura pedagógica no contexto da Educação Infantil e visa a responder à seguinte questão: De que maneira o registro de práticas e a documentação vêm sendo construídos no cotidiano do trabalho pedagógico para a Educação Infantil, e qual a relação entre documentação pedagógica e a construção de uma pedagogia para a infância no contexto de um projeto político-pedagógico em ação? Tem como objetivo geral analisar as possibilidades relacionadas à inserção de práticas de registro e documentação na Educação Infantil enquanto elemento constitutivo do projeto político-pedagógico em ação, e como objetivos específicos a) identificar e analisar experiências de registro e documentação como parte da cultura organizacional de instituições de Educação Infantil; b) compreender as possibilidades decorrentes do registro como cultura organizacional e como cultura pedagógica para a Educação Infantil; c) refletir sobre o processo de construção de uma "cultura do registro" no contexto da Educação Infantil; d) indicar elementos a serem considerados por políticas públicas para a Educação Infantil. Como procedimento metodológico, foi realizado estudo de caso coletivo (STAKE, 1994, 1999), ou estudo de casos múltiplos (YIN, 2005), no qual foram investigadas quatro pré-escolas municipais (três em São Paulo e uma em Bolonha) que desenvolvem práticas de registro e documentação como elemento de seu projeto coletivo. A investigação pautou-se na concepção de criança como pessoa, sujeito de direitos e produtora de cultura, e de infância como categoria social (QVORTRUP, 1993; SARMENTO, 2007; CORSARO, 2002). No campo da Educação Infantil, partimos do reconhecimento da função social de creches e pré-escolas, concretizado em um projeto político-pedagógico apto a conferir identidade a essa etapa educacional e pautado na promoção de múltiplas experiências de aprendizagem e desenvolvimento, considerando as especificidades da criança pequena (KRAMER, 1986, 1997). Partimos, ainda, do conceito de documentação pedagógica como atividade de recuperação, escuta e reelaboração da experiência por meio da narração de um percurso e da explicitação de pressupostos das escolhas realizadas (PASQUALE, 2002; OLIVEIRA-FORMOSINHO, AZEVEDO, 2002; BENZONI, 2001, entre outros), atividade que se relaciona ao planejamento, à avaliação e à reconstrução do projeto político-pedagógico. Como resultados, apontamos para a historicidade das práticas de registro e documentação construídas pelos diferentes coletivos institucionais em sua interação com os desafios concretamente vivenciados pelos sujeitos; a documentação pedagógica, portanto, relaciona-se ao projeto político-pedagógico institucional, e configura-se em diferentes modalidades, não se podendo falar em um único modo de fazer, por se tratar de uma postura ou concepção. O registro e a documentação pedagógica possibilitam a construção de memória e autoria, a reflexão sobre as práticas, a visibilidade do trabalho pedagógico, a comunicação e a aproximação às famílias, o que pode ser potencializado quando a atividade é assumida pelos coletivos institucionais. Em última instância, há que considerar o registro e a documentação como aspectos inerentes a um projeto pedagógico para a infância, o que deve ser reconhecido, valorizado e estimulado pelas políticas públicas a partir da consideração das reais necessidades de cada contexto. ===ABSTRACT=== The subject of this doctoral research is the register of practices and the documentation as a component of Preschool pedagogical culture. This research is aimed to answer the following questions: How the register of practices and the documentation have been built in the daily Preschool pedagogical work; and what is the relationship between pedagogical documentation and the development of a pedagogy for childhood in the context of an ongoing political-pedagogical project? The general purpose of this research is to analyze the possibilities associated with the introduction of register of practices and documentation in the Preschool as components of the ongoing political-pedagogical project. The specific purposes are: a) to identify and to analyze register and documentation experiences as a component of the organizational culture of Preschool institutions; b) to comprehend the possibilities resulting from registering as an organizational culture and as a pedagogical culture for Preschool; c) to deeply think about the development process of a registering culture in the Preschool; d) to indicate elements to be considered in the Preschool public policies. The methodological procedure consists of collective case study (STAKE, 1994, 1999), or multiple case studies (YIN, 2005). For the production of these case studies, four municipal preschools that develop register of practices and documentation as part of their collective project were analyzed (three among them located at Sao Paulo and one at Bologna). The analysis was based on the conception of child as a person, subject of rights and producer of culture, and childhood as a social category (QVORTRUP, 1993; SARMENTO, 2007; CORSARO, 2002). In the child education area, we started from the acknowledgement of the daycares/creches and preschools social function, achieved through a political-pedagogical project capable of attributing identity to this educational phase, and based on the promotion of several learning and developing experiences, considering the specificities of the child in its early ages (KRAMER, 1986, 1997). We also started from the concept of pedagogical documentation as a revival, listening and re-elaboration activity of the experience by the use of the narration of a path and making clear the prerequisites from the options taken (PASQUALE, 2002; OLIVEIRA-FORMOSINHO, AZEVEDO, 2002; BENZONI, 2001, among others), activity that is related to planning, assessing, and rebuilding the political-pedagogical project. As results, we point out the historical feature of the register of practices and documentation built by different institutional collectives in their interactions with the challenges faced by the subjects; therefore, the pedagogical documentation is related to the institutional political-pedagogical project, and assumes different formats, being impossible to assert that there is a unique way to perform it, since it is posture or concept. The register and pedagogical documentation enable memory formation and authorship, reflection about practices, pedagogical work visibility, communication and nearness to families, which can become stronger whenever the activity is developed by institutional collectives. Finally, register and documentation must be considered as inherent features of a childhood pedagogical project, and this should be recognized, treasured and incited by public policies taking into consideration the actual needs of each context.es_ES
dc.language.isootheres_ES
dc.publisherUniversidade de São Pauloes_ES
dc.subjectEducación de la primera infanciaes_ES
dc.subjectPráctica pedagógicaes_ES
dc.subjectRegistro de la prácticaes_ES
dc.titleA construção de práticas de registro e documentação no cotidiano do trabalho pedagógico da educação infantiles_ES
dc.typeThesises_ES


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record